De volta ao Brasil, sobreviventes de acidente da Chapecoense pedem arroz e feijão

Por Luiz Barp

CHAPECÓ (Reuters) - Após duas semanas de incertezas em hospitais da Colômbia, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, sobreviventes da tragédia aérea com o avião da Chapecoense, chegaram a Chapecó para continuar o tratamento próximos dos familiares e foram recepcionados também por amigos e torcedores, sob clima de emoção na cidade do interior de Santa Catarina.

O avião que trouxe de volta para casa as vítimas do acidente ocorrido em 29 de novembro aterrissou no aeroporto de Chapecó na noite de terça-feira, após uma viagem de mais de nove horas, e os sobreviventes foram encaminhados para um hospital da cidade. A expectativa médica é de que o apoio recebido na volta para casa acelere a recuperação de ambos.

De acordo com a médica Carolina Ponzi, diretora do hospital Unimed Chapecó, Alan comentou que sentia falta do tempero da comida do Brasil. “Ele já pediu arroz, feijão e bife acebolado para se alimentar”, disse em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Henzel, por sua vez, após receber o carinho do filho que o aguardava, pediu para dormir e descansar. “Ambos os pacientes dizem que pela primeira vez desde o acidente conseguiram dormir mais tranquilos”, acrescentou a médica.

Como consequência da queda do avião da empresa LaMia, em que 71 pessoas morreram e seis sobreviveram --três jogadores, um jornalista e dois tripulantes-- o lateral Alan teve fraturas em vértebras torácica e lombar, e ainda apresentou quadro de infecção urinária. Segundo boletim médico do hospital, ele já se encontra estável clinicamente e psicologicamente e consegue se alimentar bem e caminhar.

O jornalista Henzel teve traumatismo de tórax e contusão no pulmão, além de fraturas no tornozelo e punho. Assim como Alan, já se alimenta bem, porém ainda mantém um dreno na região do tórax. Segundo o médico Rovani Camargo, uma preocupação em relação à expansão do pulmão lesionado já demonstra bons sinais de recuperação, e sua saída do hospital depende da realização de mais alguns exames e o término do tratamento com antibióticos.

Apesar de os dois sobreviventes ainda estarem em isolamento, recebendo apenas a visita de familiares próximos, os médicos acreditam em uma recuperação rápida, principalmente por estarem em sua cidade.

A irmã de Henzel, ao deixar o hospital na manhã desta quarta, disse que, apesar de ter demorado para dormir nas primeiras horas no Brasil, o jornalista já está bem descansado. “Ter o irmão de volta em casa é muito bom. Com certeza ele será muito mimado”, disse, emocionada.

O hospital de Chapecó também se prepara para receber nos próximos dias o zagueiro Neto, que ainda encontra-se hospitalizado na Colômbia. A previsão é de que ele seja transferido entre quinta e sexta-feira.

Já o goleiro Jackson Follmann, que retornou ao Brasil na terça-feira e está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, também deve ser transferido para Chapecó entre sexta e sábado dessa semana. Follmann, que teve parte da perna direita amputada na Colômbia devido ao acidente, foi submetido a cirurgia para correção de luxação de vértebras cervicais na própria terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos