Desocupação de Aleppo é adiada e oposição culpa Irã e milícias xiitas

Por Laila Bassam e Tom Perry e Lisa Barrington

BEIRUTE/ALEPPO, Síria (Reuters) - A desocupação do leste de Aleppo que teria início no começo da manhã desta quarta-feira foi adiada, talvez até quinta-feira, e uma autoridade dos rebeldes que ocupam a região culparam o Irã e milícias xiitas aliadas ao presidente sírio, Bashar Al-Assad, pelo adiamento.

Um acordo de cessar-fogo mediado pela Rússia, aliado mais poderoso de Assad, e a Turquia terminou com anos de confrontos na cidade e deu ao líder sírio a maior vitória até o momento em mais de cinco anos de guerra.

Forças sírias retomaram ataques contra áreas rebeldes brevemente na manhã desta quarta-feira, no que a Rússia diz ter sido resposta aos ataques rebeldes. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que a resistência rebelde deve acabar nos próximos dois a três dias.

Autoridades na coalizão militar que luta em apoio a Assad não pôde ser imediatamente contatada sobre o motivo do adiamento da desocupação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos