Preços do aço e do minério na China recuam ante máximas de vários anos

MANILA (Reuters) - Os contratos futuros do aço e do minério de ferro na China recuaram nesta quarta-feira após um rali de dois dias que elevou as commodities para máximas plurianuais, em meio a esforços de Pequim para amenizar a sobrecapacidade do setor siderúrgico.

A China cortou 88 milhões de toneladas de capacidade de aço este ano, dentro de uma reforma econômica para reduzir o excedente que atinge vários setores. Além disso, o país tem limitado a produção de unidades mais poluidoras.

O vergalhão mais ativo da Bolsa de Futuros de Xangai fechou em queda de 2,6 por cento, a 3.375 iuanes (489 dólares) a tonelada. Na segunda-feira, o produto atingiu o valor mais elevado desde abril de 2014, a 3.557 iuanes.

O minério de ferro na bolsa de Dalian caiu 4,8 por cento, para 605 iuanes por tonelada, depois de máxima de quase três anos de 657 iuanes na segunda-feira.

"Considerando que paralisações no setor de aço foram um dos principais impulsionadores do rali, a nosso ver não acreditamos que o rali do minério de ferro seja fundamentalmente justificado, embora seja claro que os participantes do mercado chinês discordem", disseram analistas da Macquarie em nota.

(Por Manolo Serapio Jr)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos