Problemas de nascimento são vistos em 6% de gestações com Zika, diz estudo dos EUA

Por Julie Steenhuysen

CHICAGO (Reuters) - Aproximadamente seis por cento das mulheres nos Estados Unidos que foram infectadas com o vírus Zika durante a gravidez tiveram fetos ou bebês com problemas de nascimento, disseram pesquisadores norte-americanos nesta quarta-feira.

Das 442 mulheres num registro norte-americano de Zika que completaram a gravidez, 26 bebês delas tiveram um ou mais problemas de nascimento possivelmente ligado à infecção durante a gestação, de acordo com o estudo publicado no periódico Journal of the American Medical Association.

Um total de 18 fetos ou bebês tiveram microcefalia, a má-formação craniana. Antes considerada uma infecção leve transmitida por mosquito, Zika tem sido associado com milhares de casos de problemas de nascimento no Brasil e em outros locais.

Os problemas de nascimento ocorreram entre fetos e bebês de gestantes dos EUA que foram expostas ao Zika em lugares onde o vírus estava se alastrando, relataram pesquisadores do Centro de Controle e Prevenção de Doenças norte-americano.

Thomas Frieden, diretor do centro, afirmou que o estudo é importante porque mostra que o índice de microcefalia e outros problemas de formação fetal em bebês nascidos de mulheres nos EUA é similar ao índice estimado de infecções no Brasil.

"Zika representa um risco real durante a gravidez, mas especialmente no primeiro trimestre. É importante que mulheres grávidas não viajem para áreas onde o Zika esteja se alastrando”, declarou Frieden em comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos