Cruz Vermelha retira 3.000 civis de Aleppo

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - Cerca de 3.000 civis e mais de 40 pessoas feridas, incluindo crianças, foram retirados do leste de Aleppo nesta quinta-feira em duas operações de saída, disse em comunicado o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

"Muitas outras” viagens de ônibus e ambulância seriam necessárias nos próximos dias, disse Robert Mardini, diretor regional do Comitê Internacional da Cruz Vermelha para o Oriente Médio, numa entrevista à Reuters no seu escritório em Genebra.

Ele havia acabado de receber informações de Marianne Gasser, chefe da delegação da organização em Aleppo.

"Esse para nós é o primeiro passo, e foi positivo”, declarou Mardini, após a primeira das duas operações de retirada da parte leste da cidade, onde forças do governo estão prestes a tomar o controle total.

O Comitê Internacional afirmou que um terceiro comboio havia partido para Aleppo após o entardecer.

Autoridades sírias realizaram somente uma “inspeção muito leve” dos que são retirados, que não foram registrados e cujos documentos não foram checados, disse ele.

“Até agora, a grande maioria das pessoas transferidas hoje são civis”, declarou ele. A prioridade continua sendo retirar os seriamente feridos, porque “é uma questão de vida ou morte” e monitorar a saída dos civis, afirmou ele.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos