Japão e Rússia concordam em retomar conversas sobre segurança e debatem Síria

Por Kiyoshi Takenaka e Katya Golubkova

NAGATO, Japão (Reuters) - O Japão e a Rússia concordaram, durante uma cúpula de líderes realizada nesta quinta-feira, em retomar conversas sobre segurança e começar a debater a cooperação econômica em ilhas no centro de uma desavença que impediu os dois países de assinarem um tratado de paz para encerrar formalmente a Segunda Guerra Mundial.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o presidente russo, Vladimir Putin, também conversaram sobre a Síria, e Abe transmitiu a Putin sua preocupação com a situação humanitária alarmante. Putin se ofereceu para trabalhar com outros países para solucionar o problema sírio, disse o porta-voz do governo do Japão.

As conversas ocorrem no momento em que Moscou enfrenta críticas do Ocidente pela destruição do leste da cidade síria de Aleppo, onde a Rússia apoia as forças do presidente sírio, Bashar al-Assad.

"No tocante à Síria, o primeiro-ministro Abe expressou grande preocupação com a deterioração da situação humanitária, e enfatizou a importância de se voltar a deter a conduta hostil e de implementar a ajuda humanitária", disse o vice-secretário-chefe de gabinete japonês, Kotaro Nogami, aos repórteres depois de os dois líderes se reunirem por cerca de três horas em um resort de primavera no sudoeste do Japão.

"O presidente Putin declarou que está apoiando o presidente Assad, que é um líder eleito. Ele também disse estar disposto a conversar com países da região e com os Estados Unidos para trabalhar para uma resolução", disse Nogami.

Abe e Putin estão tentando fazer progressos em uma cúpula de dois dias no que diz respeito à disputa de quatro ilhotas no oeste do Oceano Pacífico controladas pela Rússia, mas também reivindicadas pelo Japão. Eles irão voltar a conversar em Tóquio na sexta-feira.

"Conseguimos realizar a cúpula em uma atmosfera muito boa", disse Abe aos repórteres após a reunião.

"Acho que conseguimos ter discussões francas e profundas sobre a liberdade de viagens para ex-moradores das ilhas, atividades econômicas das quatro ilhas sob um sistema especial de dois países e a questão do tratado de paz."

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse aos jornalistas que Putin propôs retomar as conversas sobre segurança entre os respectivos chanceleres e ministros da Defesa, suspensas depois que a Rússia anexou a península da Crimeia da Ucrânia em 2014, desencadeando sanções ocidentais.

 (Reportagem adicional de Minami Funakoshi, Ami Miyazaki e Nobuhiro Kubo, Elaine Lies em Tóquio)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos