Rebeldes sírios culpam Irã de impedir acordo de retirada em Aleppo

AMMAN (Reuters) - Os rebeldes sírios culparam o Irã e suas milícias xiitas de impedir um acordo para retirar civis presos na área restante rebelde em Aleppo.

Munir al Sayal, chefe da ala política do grupo rebelde Ahrar al Sham envolvido em negociações sobre o acordo, disse que o Irã insiste que as pessoas sejam autorizadas a deixar duas aldeias xiitas sitiadas antes de permitir a evacuação de Aleppo. Ele disse que a Rússia não estava conseguindo conter seu aliado.

"O Irã e seus representantes sectários estão usando a situação humanitária de nosso povo sitiado em Aleppo e impedindo que civis se retirem até a evacuação de seus grupos em al-Foua e Kefyra", disse Sayal à Reuters.

A operação de retirada de combatentes e civis da última área de oposição de Aleppo foi suspensa na sexta-feira, segundo dia, depois que milícias pró-governo exigiram que os feridos também fossem levados de al-Foua e Kefraya e os manifestantes bloquearam uma estrada de Aleppo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos