França verifica segurança em mercados natalinos após ataque em Berlim

PARIS (Reuters) - A França está realizando "prisões preventivas" e verificando a instalação de barreiras de concreto em mercados natalinos devido ao temor de um ataque de militantes islâmicos após o atentado de segunda-feira em Berlim.

Um porta-voz do governo francês disse que os organizadores dos mercados de Natal do país foram contatados para verificar todas as medidas de segurança, inclusive o exame de bagagens, à luz do ataque na Alemanha, onde um homem dirigindo um caminhão atropelou uma multidão e matou 12 pessoas.

O temor de ataques de militantes islâmicos está alto na França, onde mais de 230 pessoas morreram em atentados nos últimos dois anos e um estado de emergência está em vigor há mais de um ano.

O governo francês impôs o estado de emergência depois que militantes islâmicos mataram 130 pessoas em Paris em novembro de 2015, aumentando os poderes da polícia para fazer buscas e prisões visando suspeitos considerados uma ameaça de segurança.

O porta-voz do governo francês Stéphane Le Foll disse que as prisões preventivas, parte de uma campanha antiterrorismo contínua, almejam evitar "todo e qualquer risco de ataque e de organização de um ataque". Ele não forneceu números.

"Tudo está em ordem para conter os riscos", afirmou Le Foll aos jornalistas durante um boletim regular sobre assuntos de governo.

A porta-voz da polícia Johanna Primevert disse que soldados serão acionados para garantir a segurança de locais de culto, onde as pessoas tendem a se reunir em números maiores do que o normal no dia 25 de dezembro, uma das datas mais importantes do calendário cristão em um país de tradição católica.

(Por Elizabeth Pineau e Brian Love)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos