Polícia alemã procura tunisiano suspeito de ataque em Berlim

Por Madeline Chambers

BERLIM (Reuters) - A polícia da Alemanha está procurando um tunisiano depois de encontrar um documento de identidade debaixo do assento do motorista do caminhão que atropelou um multidão em um mercado natalino de Berlim na noite de segunda-feira, matando 12 pessoas, disse o site de notícias Spiegel Online.

O documento estava em nome de Anis A., nascido em Tataouine, cidade do sul da Tunísia, em 1992. Também se acredita que ele usa nomes falsos, segundo a reportagem.

O jornal Bild afirmou, separadamente, que a polícia via o suspeito como um indivíduo possivelmente perigoso e participante de uma grande rede islâmica.

Inicialmente a corporação prendeu um paquistanês e postulante a asilo próximo do local do ataque, mas o liberou sem acusações na terça-feira. As autoridades alertaram que o agressor ainda está foragido e pode estar armado. Não está claro se o perpetrador está agindo sozinho ou acompanhado.

O caminhão de 25 toneladas, que pertence a uma transportadora polonesa, atingiu barracas de madeira que serviam comidas e bebidas típicas da Alemanha, ferindo cerca de 45 pessoas, além dos 12 mortos.

O motorista polonês do veículo foi encontrado morto a tiros na cabine. O Bild relatou que ele estava vivo até o ataque ocorrer.

O jornal citou um investigador que disse que deve ter havido uma luta com o agressor, que pode ter sido ferido.

O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade da ação, como fez com um ataque semelhante realizado em julho na França, quando um tunisiano lançou um caminhão contra uma multidão que comemorava o Dia da Bastilha na cidade de Nice, matando 86 pessoas antes de ser morto a tiros pela polícia.

O diretor da Associação de Detetives Criminais da Alemanha, Andre Schulz, disse à televisão do país na noite de terça-feira que a polícia espera fazer outra prisão em breve.

"Estou relativamente confiante de que talvez amanhã, ou no futuro próximo, poderemos apresentar um novo suspeito", afirmou.

O chefe do grupo de ministros do Interior dos 16 Estados federais alemães, Klaus Bouillon, disse que é necessário adotar medidas de segurança mais rígidas.

"Queremos aumentar a presença policial e fortalecer a proteção dos mercados natalinos. Teremos mais patrulhas. Os agentes terão metralhadoras. Queremos tornar o acesso aos mercados mais difícil, com veículos estacionados através deles", disse Bouillon ao jornal Passauer Neue Presse desta quarta-feira.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que seria particularmente repulsivo se um refugiado procurando proteção na Alemanha fosse o perpetrador. Alguns políticos culparam sua política imigratória de portas abertas por tornar tais atentados mais prováveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos