Sequestro de avião líbio em Malta termina com rendição de sequestradores

Por Texto atualizado com mais informações

VALLETTA (Reuters) - Os passageiros de um avião foram libertados nesta sexta-feira, em Malta, após os sequestradores que tomaram a aeronave na Líbia se renderem, disse o primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat.

O avião fazia um voo interno na Líbia quando foi sequestrado por homens e um dizia ter uma granada de mão. A aeronave foi desviada para Malta.

Os sequestradores foram revistados e levados sob custódia, disse Muscat em publicação no Twitter.

Segundo relatos iniciais, um sequestrador disse aos tripulantes que era "pró-Gaddafi" e que iria deixar todos os 111 passageiros saírem do Airbus A320, mas não deixaria os tripulantes saírem, caso suas exigências não fossem atendidas.

É incerto quais eram as exigências. Um canal de TV líbio relatou que conversou por telefone com um deles, que se descreveu como líder de um partido pró-Gaddafi.

Gaddafi foi morto em um levante em 2011, e o país tem sido castigado por violência de facções desde então.

Ônibus foram levados para a pista do Aeroporto Internacional de Malta para retirar 109 passageiros, assim como parte da tripulação. Imagens da TV não mostravam qualquer tipo de alarme.

Após passageiros deixarem o avião, um homem apareceu brevemente no topo da escada com uma bandeira verde, semelhante ao do Estado governado por Gaddafi.

O parlamentar Al-Saghir disse à Reuters que Abdusalem Mrabit, também membro do Parlamento da Líbia que estava no avião, disse que os dois sequestradores estavam na faixa dos 20 anos e eram do grupo étnico tebu, do sul da Líbia.

Tropas tomaram posições a poucas centenas de metros de onde o avião pousou. Os motores do avião ainda estavam ligados 45 minutos depois do pouso na manhã desta sexta-feira.

Alguns outros voos do Aeroporto Internacional de Malta foram cancelados ou desviados, segundo o jornal.

Uma autoridade sênior da segurança líbia disse à Reuters que durante o voo, o piloto disse à torre de controle do aeroporto de Mitiga, em Trípoli, que a aeronave havia sido sequestrada.

"O piloto relatou à torre de controle em Trípoli que eles haviam sido sequestrados, então perderam comunicação", disse a autoridade, falando sob condição de anonimato.

O avião voava de Sebha, no sudoeste da Líbia, para a capital Trípoli pela estatal Afriqiyah Airways, um voo que normalmente leva pouco mais de duas horas.

A pequena ilha mediterrânea de Malta, país membro da União Europeia, fica a cerca de 500 quilômetros de Trípoli.

(Reportagem de Chris Scicluna)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos