Juiz argentino abre novo processo contra Cristina por concessão de obras públicas

(Reuters) - Um juiz federal argentino abriu processo nesta terça-feira contra a ex-presidente Cristina Kirchner e vários de seus ex-funcionários por associação ilícita e administração fraudulenta de obras públicas antes e durante o seu mandato, na segunda ação judicial desde que deixou poder um ano atrás.

As investigações sobre denúncias de corrupção durante o governo de Cristina Kirchner voltaram com força após a chegada do governo do presidente Mauricio Macri, o que a ex-presidente considera como uma "perseguição judicial" que poderia deixá-la atrás das grades.

Além do processo, o juiz Julian Ercolini determinou o embargo de 10 bilhões de pesos (644 milhões de dólares).

O magistrado ordenou medidas semelhantes para outros ex-funcionários, incluindo o ex-ministro do Planejamento Julio De Vido e o ex-secretário de Obras Públicas José López, que na metade do ano foi preso ao tentar esconder sacos com milhões de dólares em um convento.

Os réus "teriam feito parte de uma associação, que teria operado, pelo menos, entre 8 de maio de 2003 e 9 de dezembro de 2015, para cometer crimes, na intenção de obter ilegalmente e deliberadamente verbas destinadas a obras públicas de rodovias, em princípio, na província de Santa Cruz", disse Ercolini na decisão.(Por Maximiliano Rizzi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos