Trump elogia Putin por evitar retaliação em disputa EUA-Rússia sobre espionagem

Por Polina Devitt e Polina Nikolskaya

MOSCOU (Reuters) - O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta sexta-feira o presidente da Rússia, Vladimir Putin, por não retaliar na disputa sobre espionagem e ciberataques, em mais um sinal de que o republicano planeja reparar as muito desgastadas relações com Moscou.

Mais cedo nesta sexta, Putin disse que não iria responder à expulsão pelo presidente Barack Obama de 35 russos suspeitos de espionagem, pelo menos até Trump tomar posse em 20 de janeiro.

"Grande medida o adiamento (por parte de Vladimir Putin) – eu sempre soube que ele era muito inteligente!”, disse Trump via Twitter.

Na quinta-feira, Obama ordenou a expulsão dos russos e impôs sanções contra duas agências de inteligência russas por causa do envolvimento delas em ações de hackeamento contra grupos políticos na campanha presidencial norte-americana.

"Nós não vamos expulsar ninguém”, disse Putin em comunicado, acrescentando que a Rússia conserva o direito de retaliar.

"Novos passos para a restauração das relações entre Rússia e EUA serão construídos com base na política que o governo do presidente Donald Trump implementar”, afirmou ele.

Trump já elogiou repetidas vezes Putin e escolheu pessoas vistas como amigáveis em relação a Moscou para importantes cargos no governo, mas não está claro se ele buscará reverter as ações de Obama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos