Fifa diz que tribunal decidiu a seu favor em caso trabalhista sobre Copa do Catar

ZURIQUE (Reuters) - Um tribunal rejeitou um processo contra a Fifa iniciado por sindicatos trabalhistas que acusavam a entidade que gerencia o futebol mundial de falhar em utilizar sua influência para garantir tratamento adequado dos operários que trabalham em obras da Copa do Mundo de 2022 no Catar, informou a federação internacional nesta sexta-feira.

A Fifa disse em um comunicado ter recebido bem a decisão do Tribunal Comercial de Zurique sobre o caso, que diz respeito a uma “alegada conduta equivocada e responsabilidade por violações de direitos humanos” por parte da entidade.

O tribunal não pôde ser contactado de imediato para comentár, e a Fifa não deu mais detalhes sobre o caso.

O litígio foi aberto pelo Congresso de União do Comércio Livre de Bangladesh e apoiado pelo sindicato holandês FNV, em nome de um cidadão de Bangladesh que diz ter sido explorado no Catar.

O processo pedia que a Fifa obrigasse o Catar a adotar “padrões trabalhistas mínimos” para imigrantes que realizam trabalhos para o torneio, incluindo ao menos o direito de deixar o emprego ou sair do país. 

Sob o sistema da “kafala” no Catar, trabalhadores precisam do consentimento de seu empregador para mudar de emprego ou deixar o país.

O Catar tem enfrentado críticas de organizações como a ONG Anistia Internacional, entre outras, por conta do tratamento dado a trabalhadores estrangeiros. Doha nega explorar trabalhadores e diz que está implementando reformas trabalhistas.

A Fifa diz considerar as condições de trabalho no Catar de maneira “muito séria.”

(Por Joshua Franklin e Michael Shields)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos