Governo da Costa do Marfim diz ter acordo para encerrar revolta de militares

BOUAKÉ, Costa do Marfim (Reuters) - Uma delegação liderada pelo ministro da Defesa da Costa do Marfim, Alain-Richard Donwahi, chegou a um acordo neste sábado com soldados amotinados para acabar com uma revolta de dois dias que espalhou agitação em todo o país, afirmou um funcionário local envolvido nas negociações.

"Temos um acordo", disse Djande Lorgn, sub-prefeito da cidade de Bouaké, onde as conversações aconteceram. "Esse acordo acaba com o motim."

Um protesto de militares que exigiam salários mais altos e bônus desencadeou uma série de tiroteios entre a noite de sexta-feira e o início deste sábado em diversas cidades da Costa do Marfim, incluindo a capital comercial Abidjan, de acordo com moradores e soldados.

Soldados tomaram Bouaké, a segunda maior cidade do país, no início da sexta-feira, e o levante se expandiu para ao menos outras quatro cidades.

A Costa do Marfim --maior economia da África Ocidental de língua francesa-- saiu de uma crise política de 2002-11 como uma das estrelas econômicas ascendentes do continente.

(Por Ange Aboa)​

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos