Protestos e tiroteios atingem a principal cidade da Costa do Marfim

BOUAKÉ, Costa do Marfim (Reuters) - Um protesto de militares que exigiam salários mais altos e bônus desencadeou uma série de tiroteios entre a noite de sexta-feira e o início deste sábado em diversas cidades da Costa do Marfim, incluindo a capital comercial Abidjan, de acordo com moradores e soldados.

Soldados tomaram Bouaké, a segunda maior cidade do país, no início da sexta-feira, e o levante se expandiu para ao menos outras quatro cidades, enquanto o governo tentava acalmar os ânimos prometendo conversas com os amotinados.

No entanto, durante a noite, foram ouvidos tiroteios na cidade do norte de Korhogo e também pela manhã deste sábado em Bouaké.

Mais tarde, moradores e soldados relataram novos tiros em Man, Toulepleu e em um importante campo militar em Abidjan, cidade de quase 5 milhões de habitantes onde o presidente, a administração e o parlamento estão baseados.

"Agora, o tiroteio também começou em nosso acampamento", disse um soldado na base militar de Akouedo, localizada em uma área residencial de Abidjan. O tiroteio foi confirmado por um morador local.

A Costa do Marfim --maior economia da África Ocidental de língua francesa-- saiu de uma crise política de 2002-11 como uma das estrelas econômicas ascendentes do continente.

(Por Ange Aboa)​

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos