Indicações de Trump enfrentam teste importante no Senado nesta semana

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - A realização nesta semana de audiências no Senado para confirmação de indicados pelo presidente eleito dos EUA, Donald Trump, para os maiores cargos de sua administração, de secretário de Estado a procurador-geral, servirá de teste para sua capacidade de trabalhar com colegas republicanos no Congresso, a fim de executar sua agenda presidencial. 

O desafio de Trump é garantir que os 52 republicanos do Senado, entre um total de 100 senadores, mantenham-se unidos para confirmar suas escolhas ministeriais, a fim de oferecer uma transição suave quando o magnata imobiliário assumir o lugar do presidente Barack Obama em 20 de janeiro. 

Um total de sete audiências de confirmação devem ser realizadas nesta semana, começando na terça-feira, com a do senador Jeff Sessions em sua indicação como procurador-geral, e uma sessão para o general reformado John Kelly, escolhido por Trump como secretário de segurança doméstica. 

Ambas as sessões serão uma oportunidade para democratas levantarem questões sobre as propostas de imigração de Trump, tais como sua intenção de construir um muro na fronteira entre Estados Unidos e México e uma promessa de temporariamente suspender a imigração de regiões consideradas como exportadoras de terrorismo.

As audiências devem mostrar quão bem Trump --em seu primeiro cargo eletivo-- e sua equipe estão lidando com os parlamentares republicanos, à medida que ele prepara uma extensa agenda legislativa que inclui reformulações de programas de Obama sobre acesso à saúde e reforma tributária.

“Acho que você verá republicanos do Senado apoiando as nomeações de Trump, e isso vai, espera-se, dar o tom de um relacionamento cooperativo e produtivo”, disse o estrategista republicano Ryan Williams.

“Isso vai fomentar boa vontade e cooperação, que permitirão à administração trabalhar com republicanos, porque, inevitavelmente, haverá diferenças que deverão ser superadas em algum momento”, disse. 

Cinco outros indicados possuem audiências na quarta-feira, mesmo dia em que Trump deve realizar, em Nova York, sua primeira coletiva de imprensa desde que foi eleito presidente. 

Esses cinco incluem Rex Tillerson, indicado para secretário de Estado; Betsy DeVos, para a Secretaria de Educação; Mike Pompeo, designado como diretor da CIA; Wilbur Ross, para o Comércio; e Andrew Puzder, para o Trabalho.

O porta-voz de Trump, Sean Spicer, disse acreditar que todos serão confirmados.

“Temos um inacreditável grupo de estrelas como indicados”, disse ele. “Acredito que cada um deles será confirmado não apenas com votos dos republicanos, mas também de democratas.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos