ChemChina e Syngenta propõe pequenas concessões a órgão antitruste da UE

(Reuters) - A China National Chemical Corp (ChemChina) [CNNCC.UL] e o grupo suíço de pesticidas e sementes Syngenta propuseram pequenas concessões ao órgão fiscalizador de competição da União Europeia para aplacar as preocupações sobre seu plano de fusão de 43 bilhões de dólares, disseram fontes à Reuters.

Uma pessoa próxima do acordo disse que é improvável que a ChemChina tenha que vender sua subsidiária agrícola Adama Agricultural Solutions. As discussões estão focadas em solucionar as preocupações que dizem respeito a produtos específicos, alguns dos quais podem ser propriedade da Adama.

Essa pessoa disse que os desinvestimentos totais podem ficar abaixo dos 500 milhões de dólares.

"É sobre produtos individuais onde a competição é escassa", disse essa pessoa, acrescentando que alguns destes produtos valem apenas dezenas de milhões de dólares.

"O meu entendimento é que os desinvestimentos são bem pequenos", disse outra fonte próxima do acordo.

O site da Comissão Europeia mostrou que "compromissos" foram submetidos em 9 de janeiro, o que normalmente significa que as partes propuseram soluções como venda de ativos ou preços específicos para produtos. A Comissão não deu detalhes sobre a natureza dos compromissos.

(Por Chen Aizhu e Michelle Price; reportagem adicional de Arno Schuetze, Joshua Franklin e Oliver Hirt)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos