Clima seco vai beneficiar zonas agrícolas com excesso de água na Argentina, dizem especialistas

BUENOS AIRES (Reuters) - Condições secas durante os próximos dias podem favorecer a principal zona agrícola da Argentina, onde cerca de 10 por cento da área produtiva sofre com o excesso de água decorrente das fortes chuvas que atingiram a região nas últimas semanas, disseram especialistas de clima nesta terça-feira.

O clima seco poderá ajudar a evaporar o excesso de água acumulado em dezembro e nos primeiros dias de janeiro, que provocaram perdas e demoras na semeadura da soja, o maior cultivo da Argentina, o que gerou temores que impulsionaram os preços da oleaginosa na Bolsa de Chicago.

"Devemos ter condições secas até domingo ou segunda-feira, quando voltam as chuvas", disse à Reuters o metereologista da Consultoria de Climatologia Aplicada (CCA), Germán Heinzenknecht.

O especialista da CCA sinalizou que as condições secas dos próximos dias podem ser "muito boas" para as regiões que sofrem com o excesso de água, embora tenha acrescentado que algumas zonas precisariam de pelo menos duas semanas sem chuvas para recuperarem-se.

Eduardo Sierra, assessor climático da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, disse que as precipitações que devem chegar à zona agrícola no início da próxima semana são de menor intensidade do que as fortes chuvas recentes.

As zonas mais afetadas pelo excesso de água são o sul da província de Córdoba, o sudeste da província de Santa Fé e o noroeste da província de Buenos Aires.

(Por Maximilian Heath)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos