Preços têm maior alta diária em um mês por queda no dólar após fala de Trump

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 2,5 por cento nesta quarta-feira, a maior alta diária em mais de um mês, sustentados por uma retração do dólar norte-americano após uma coletiva de imprensa do presidente eleito dos EUA Donald Trump e por notícias de que a Arábia Saudita cortou as exportações para a Ásia.

O petróleo Brent subiu 1,46 dólar, ou 2,7 por cento, para 55,10 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA subiu 1,43 dólar, ou 2,8 por cento, a 52,25 dólares por barril. Ambos os contratos registraram o maior ganho percentual desde 1º de dezembro.

A acentuada recuperação dos preços ante o fechamento de terça-feira, no menor nível em um mês, ocorreu apesar de dados do governo que mostraram uma alta maior do que a esperada nos estoques de petróleo e derivados dos EUA.

O dólar despencou durante os comentários do Trump, que decepcionaram investidores que haviam colocado a moeda em seu nível mais alto na semana que antecedeu a coletiva.

Um dólar mais forte torna o petróleo mais caro para usuários de outras moedas.

"A principal razão para a alta no preço do petróleo foi a queda no dólar", disse Phil Davis, sócio da PSW Investments em Woodland Park, Nova Jersey.

(Por Scott DiSavino; reportagem adicional de Amanda Cooper e Henning Gloystein)

Receba o Giro UOL por e-mail

Em duas edições diárias, um resumo das notícias mais importantes para começar e terminar o seu dia. É só deixar seu e-mail e pronto!

 

UOL Cursos Online

Todos os cursos