Novas chuvas na principal zona agrícola da Argentina prejudicam safra de soja 2016/17

BUENOS AIRES (Reuters) - Novas chuvas em setores da principal zona agrícola da Argentina acentuaram o excesso de água que afeta as regiões produtoras de soja da safra 2016/17, gerando perdas de área nos lotes de semeadura tardia, disseram especialistas nesta segunda-feira.

As fortes chuvas que caíram durante o fim de semana se somam à grande quantidade de água que caiu desde meados de dezembro na principal região produtora de soja da Argentina e que teve impacto sobre os preços internacionais da oleaginosa.

"O núcleo importante (das chuvas) foi no sul da província de Santa Fé, com áreas onde caíram 150 milímetros" de água, disse à Reuters a especialista agrônoma da Bolsa de Comércio de Rosário (BCR), Marina Barletta, que indicou que os lotes de soja de plantio tardio foram os mais afetados.

Segundo a BCR, que estimou área de soja de 19,6 milhões de hectares na safra 2016/17, 30 por cento da superfície agrícola da região central da Argentina estava em alerta vermelho até a semana passada devido aos 350 milímetros de chuva que haviam caído desde o mês passado.

"Nesse momento, devemos ter 50 por cento da zona rural do município comprometida pelo desastre hídrico, com excesso de água e inundações", disse o delegado do município de San Francisco, no sul da província de Santa Fé, Ignacio Freytes.

Devido às dificuldades geradas pelas chuvas, o ministro da Agroindústria da Argentina, Ricardo Buryaile, reunirá na quarta-feira a Comissão Nacional de Emergências e Desastres Agropecuários, que também analisará a situação das províncias de La Pampa e Buenos Aires.

(Por Maximilian Heath)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos