Escócia precisa ter escolha sobre independência caso desejo sobre Brexit seja ignorado, diz premiê

EDIMBURGO (Reuters) - A Escócia precisa ter opção de independência do Reino Unido caso desejar se o novo plano comercial britânico após deixar a União Europeia for rejeitado, disse nesta terça-feira a primeira-ministra escocesa.

Nicola Sturgeon, que lidera um governo pró-independência, disse que o plano do Brexit proposto pela premiê britânica, Theresa May, mais cedo nesta terça-feira seria "economicamente catastrófico" para o Reino Unido e que a Escócia não votou por ele.

Os escoceses votaram pela permanência na União Europeia em junho, em contraste com a maioria britânica que votou pela saída. Sturgeon enviou uma série de propostas ao governo sobre a posição da Escócia.

"Embora discussões sobre estas propostas continuem, e embora a primeira-ministra tenha reiterado hoje seu compromisso em dar ao nosso plano a devida consideração, ainda não vimos evidências de que a voz da Escócia está sendo ouvida ou que nossos interesses estão sendo levados em consideração", disse Sturgeon.

Ela acrescentou: "o governo do Reino Unido não pode ter permissão de nos tirar da União Europeia e do mercado único, independentemente do impacto em nossa economia, trabalhos, padrões de vida e nossa reputação como um país aberto, tolerante, sem a Escócia ter o poder de escolher entre isto e um futuro diferente".

"Com seus comentários hoje, a primeira-ministra só teve sucesso em tornar esta escolha mais provável."

(Reportagem de Elisabeth O'Leary)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos