Soja toca máxima em 6 meses por preocupação com safra argentina; milho e trigo caem

CHICAGO (Reuters) - Os contratos futuros da soja na Bolsa de Chicago subiram nesta quarta-feira pela quarta sessão consecutiva, alcançando uma máxima de seis meses por preocupações sobre as perspectivas de produção na Argentina, disseram operadores.

A soja para março fechou em alta de 5,75 centavos, ou 0,5 por cento, a 10,75 dólares por bushel, após chegar a tocar 10,80 dólares, maior nível desde meados de julho.

Já os futuros do milho encerraram em queda, pressionados por realização de lucros e vendas de produtores após o contrato para março tocar uma máxima de quase três meses, segundo operadores.

O milho para março fechou em queda de 0,50 centavo, ou 0,1 por cento, a 3,65 dólares por bushel, após tocar 3,6775, maior valor desde 20 de outubro.

Os contratos futuros do trigo também encerraram em queda por realização de lucros e consolidação, um dia após o contrato para março tocar uma máxima de quase três meses, disseram operadores.

O trigo para março encerrou em queda de 2,50 centavos a 4,31 dólares por bushel.

Um dólar mais forte pesou sobre o milho e o trigo, ao tornar essas commodities mais caras para compradores que utilizam outras moedas.

(Por Julie Ingwersen e Renita D. Young)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos