Comemorando crescimento melhor, BCE deve manter política monetária e estímulo

Por Balazs Koranyi e Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - Com o crescimento e a inflação na zona do euro acelerando lentamente o ritmo, o Banco Central Europeu (BCE) deve argumentar nesta quinta-feira que sua postura de política monetária ultrafrouxa ainda é necessária para manter a recuperação no curso.

O BCE deve deixar inalterada a política monetária e manter a promessa de estímulo prolongado, tendo prorrogado seu programa de compra de títulos no mês passado.

O presidente do BCE, Mario Draghi, pode argumentar que o banco fez sua parte para recompor o crescimento, mas também vai destacar que a recuperação ainda não se sustenta sozinha, dizendo que a inflação é fraca e que o risco político de eleições pesa sobre as perspectivas.

A inflação atingiu máxima de três anos no mês passado, a atividade industrial está acelerando e os indicadores de confiança estão se firmando, o que indica um crescimento sólido no fim do ano passado.

Entretanto, o cenário básico é misto, dando a Draghi vários argumentos para rebater as críticas, particularmente da Alemanha, principal adversário da política do BCE.

A inflação ainda é metade da meta do BCE de 2 por cento e a alta se deve principalmente aos preços mais elevados do petróleo, enquanto o cenário básico para os preços continua perigosamente fraco.

O BCE anuncia sobre decisão sobre a política monetária às 10:45 (horário de Brasília) e Draghi fala à imprensa às 11:30.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos