Preços sobem após IEA ver início de pressão sobre o mercado

CINGAPURA (Reuters) - O petróleo recuperava-se de mínimas de uma semana nesta quinta-feira, após a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) dizer que o mercado global está ficando sob pressão mesmo antes que cortes de produção prometidos pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros produtores possam fazer efeito.

Os preços do petróleo têm flutuado neste ano conforme o foco do mercado volta-se para as esperanças de que o acordo da Opep possa reduzir o excesso de oferta ou para temores de que uma retomada na produção de petróleo de xisto nos Estados Unidos possa compensar qualquer redução de oferta.

O petróleo Brent subia 0,42 dólar, ou 0,78 por cento, a 54,34 dólares por barril, às 8:47 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,35 dólar, ou 0,69 por cento, a 51,43 dólares por barril

A IEA disse nesta quinta-feira que, embora seja cedo para avaliar o nível de cumprimento do acordo da Opep sobre os cortes, os estoques de petróleo no mundo desenvolvido caíram pelo quarto mês consecutivo em novembro e há outra queda projetada para dezembro.

A IEA também aumentou a projeção para o crescimento da demanda em 2016 e disse que os dados indicam que o consumo em alta deve lentamente pressionar os mercados globais de petróleo.

Dados do Instituto Americano do Petróleo (API) mostraram que os estoques de petróleo dos EUA caíram 5,04 milhões de barris na semana encerrada em 13 de janeiro. Os analistas esperavam uma queda de 342 mil barris.

(Por Naveen Thukral)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos