Justiça decreta sigilo nas investigações sobre queda de avião que matou Teori

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Justiça Federal do Rio de Janeiro decretou sigilo nas investigações sobre a queda do avião que vitimou o ministro do STF Teori Zavascki, na semana passada, em Paraty, no sul do Estado, segundo o Tribunal Regional Federal.

A decisão foi tomada pelo juiz Raffaele Felice Pirro, da 1ª Vara de Angra dos Reis, cidade vizinha a Paraty.

“O caso tramita na 1ª Vara de Angra dos Reis sob segredo de Justiça. Não há mais detalhes a serem informados”, informou à Reuters a Justiça Federal do Rio de Janeiro nesta segunda-feira.

Ao todo, quatro inquéritos já foram abertos para apurar a queda do avião: Polícia Federal, Ministério Público Federal, Polícia Civil do Estado e Ministério Público do Rio de Janeiro.

Testemunhas do acidente já começaram a ser ouvidas pelos órgãos e novos depoimentos devem ocorrer nesta semana.

Teori era relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal e deveria decidir em fevereiro se homologaria ou não dezenas de acordos de delação premiada de executivos da Odebrecht, que atingiriam vários políticos.

No acidente com o avião bimotor morreram outras quatro pessoas, entre elas o empresário Carlos Alberto Filgueiras, do grupo Emiliano, ao qual pertencia a aeronave.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos