Trump planeja pagar muro com imposto de 20% sobre bens do México e crise aumenta

Por Steve Holland e Miguel Gutierrez

FILADÉLFIA/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode pagar um muro na fronteira sul com um novo imposto de 20 por cento sobre produtos do México, informou a Casa Branca nesta quinta-feira, agravando a crise depois do cancelamento de um encontro com o presidente mexicano.

Trump quer que a medida faça parte de um pacote fiscal mais amplo que o Congresso dos EUA está analisando, disse o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer.

Não estava imediatamente claro como o imposto funcionaria. Partes da proposta que Spicer descreveu se assemelham a uma ideia existente, conhecida como imposto de importação de ajuste, sendo considerada pela Câmara dos Deputados liderada pelos republicanos.

Spicer disse: "Temos um novo imposto de 50 bilhões de dólares em 20 por cento das importações - o que, aliás, é uma prática que 160 outros países fazem no momento".

"A política do nosso país é tributar as exportações e permitir que as importações fluam livremente, o que é ridículo. Mas ao fazer daquela maneira, podemos fazer 10 bilhões de dólares por ano e facilmente pagar pelo muro", afirmou Spicer a repórteres que viajaram com Trump para a Filadélfia.

A Casa Branca informou nesta quinta-feira que não estava endossando o imposto de importação de ajuste. Nenhum outro detalhe estava disponível.

A notícia da proposta fiscal amplia o racha com o México, que nesta quinta cancelou um encontro planejado entre o presidente Enrique Peña Nieto e Trump sobre as demandas republicanas de que o México pague pelo muro na fronteira para conter a imigração ilegal.

Trump, que assumiu a Presidência na semana passada, assinou decreto para construção do muro na quarta-feira.

Peña Nieto escreveu no Twitter que desistiu da reunião com Trump em Washington na próxima semana. Ele estava respondendo a um tuíte anterior de Trump, que disse que seria melhor para o líder mexicano não ir ao encontro se o México não pagaria pelo muro.

Mais tarde, Trump falou como se o cancelamento tivesse sido um acordo mútuo.

Dirigindo-se a membros republicanos do Congresso em uma reunião na Filadélfia, o presidente disse que ele e Peña Nieto concordaram em cancelar a reunião, acrescentando que seria inútil se o México não tratasse os Estados Unidos "de forma justa".

"Eu disse muitas vezes que o povo americano não vai pagar pelo muro", disse Trump. "A menos que o México trate os Estados Unidos com justiça, com respeito, tal reunião seria infrutífera e eu quero seguir um caminho diferente."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos