Após críticas, CEO do Facebook suspende plano para forçar a venda de áreas no Havaí

Por Alex Dobuzinskis

(Reuters) - Diante de críticas crescentes de nativos e parlamentares, o presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou nesta sexta-feira que suspendeu a tentativa legal de forçar a venda de áreas em sua propriedade à beira-mar na ilha de Kauai que são reivindicados por havaianos nativos.

"Agora que eu compreendo melhor as questões, é claro que cometemos um erro", escreveu ele no jornal The Garden Island.

Zuckerberg já havia procurado garantir faixas de terra dentro da propriedade mediante a apresentação um mecanismo legal usado para estabelecer a propriedade e forçar uma venda de terra onde os direitos de herança remontam gerações e a documentação formal inexiste.

O deputado havaiano Kaniela Ing, democrata, em resposta à controvérsia apresentou um projeto que exige mediação em disputas semelhantes envolvendo havaianos nativos. Na época, o parlamentar comparou o plano de Zuckerberg aos dos barões do açúcar que tomaram terras de havaianos nativos nos anos 1800.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos