Promotores alemães investigam ex-CEO da Volkswagen por suspeita de fraude

BERLIM (Reuters) - Promotores alemães estão investigando o ex-presidente da Volkswagen, Martin Winterkorn, por suspeita de fraude, averiguando quando ele sobe que a montadora estava manipulando testes de emissões de diesel.

Esta é a segunda investigação sobre o papel de Winterkorn no escândalo feita por promotores na cidade de Braunschweig, perto da sede da Volkswagen, em Wolfsburg. O ex-presidente da empresa já está sendo investigado por possível manipulação de mercado.

Em setembro de 2015, a Volkswagen reconheceu que estava usando software para reduzir os níveis de emissões em carros testados nos EUA, o que fez com que a empresa perdesse bilhões de euros em valor de mercado, forçando Winterkorn a renunciar e desencadeando investigações e ações judiciais em todo o mundo.

A VW informou que a diretoria executiva não sabia sobre as violações de software até o fim de agosto de 2015 e formalmente reportou a situação para autoridades norte-americanas no começo de setembro daquele mesmo ano.

Diante de parlamentares alemães, Winterkorn se recusou a dizer semana passada quando descobriu o esquema de manipulação de testes, mas disse não ter sido antes de a VW admitir publicamente.

"Por ora, o Dr. Winterkorn está se mantendo fiel ao comunicado feito perante o comitê de investigação no parlamento alemão em 19 de janeiro", afirmou o advogado Felix Doerr.

(1 dólar = 0,9354 euro)

(Por Andreas Cremer e reportagem adicional de Jan Schwartz)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos