Merkel diz que luta contra o terrorismo não é desculpa para proibir entrada nos EUA

Por Andrea Shalal e Andreas Rinke

BERLIM (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, disse ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que a luta global contra o terrorismo não é desculpa para proibir que refugiados ou pessoas de países de maioria muçulmana entrem nos Estados Unidos, afirmou neste domingo o porta-voz dela.

"Ela está convencida de que mesmo a necessária e decisiva batalha contra o terrorismo não justifica colocar pessoas de um passado ou fé específicos sob suspeita geral", disse o porta-voz Steffen Seibert.

De acordo com ele, o governo alemão lamenta a proibição da entrada de refugiados e de cidadãos de sete países de maioria muçulmana, que iria rever as consequências para os cidadãos alemães com dupla nacionalidade e que a Alemanha "representará seus interesses, se necessário, em relação aos nossos parceiros dos EUA".

Ele disse que Merkel expressou suas preocupações a Trump durante um telefonema no sábado e lembrou-lhe que as Convenções de Genebra exigem que a comunidade internacional receba refugiados de guerra por motivos humanitários.

As declarações de Seibert são os primeiros indicativos de discórdia entre Merkel e Trump sobre o tema.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos