Esquerda francesa escolhe ex-ministro da Educação Hamon como candidato à Presidência

PARIS (Reuters) - Membros do Partido Socialista da França escolheram no domingo Benoit Hamon como candidato à Presidência, em um ato pouco provável de ajudá-los a vencer a eleição, mas que pode impulsionar a campanha do popular candidato independente centrista Emmanuel Macron.

Com 60 por cento dos votos contados no segundo turno da primária do Partido Socialista, o ex-ministro da Educação tinha 58,65 por cento dos votos contra o rival Manuel Valls, ex-primeiro-ministro que adota políticas pró-empresas.

Os socialistas, enfraquecidos e divididos após um governo impopular de François Hollande, têm poucas chances de passar do primeiro turno da eleição presidencial, em abril.

Ao escolher o tradicional esquerdista Hamon, de 49 anos, a esquerda oferece a Macron um grande grupo de eleitores e uma maior chance de vencer os rivais da direita e extrema-direita.

Caso Hamon fracasse em ter um impacto na campanha, onde segue atrás de quatro candidatos nas pesquisas de opinião, o partido pode ser levado à rupturas nos próximos cinco anos ou até ser levado ao seu fim, segundo analistas.

O conservador François Fillon, candidato dos republicanos, e a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, ainda são vistos nas pesquisas de opinião como possíveis rivais em uma disputa do segundo turno em maio.

(Reportagem de Michel Rose)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos