PT fecha apoio a André Figueiredo, do PDT, em disputa pela presidência da Câmara

(Reuters) - A bancada do PT na Câmara dos Deputados anunciou nesta terça-feira apoio ao deputado André Figueiredo (PDT-CE) na disputa para a presidência da Casa, marcada para a quinta-feira, informou a liderança da bancada petista após reunião para definir a posição na eleição.

Petistas chegaram a cogitar o apoio a outros candidatos, especialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de modo a garantir ao partido, que tem a segunda maior bancada da Casa, espaço na Mesa Diretora.

Mas a sinalização da formação de um grande bloco de partidos governistas apoiando Maia, praticamente retirando a possibilidade de ter um petista na Mesa, pode ter facilitado na definição pelo apoio de Figueiredo, cujo PDT é oposição ao governo Temer como o PT.

Em entrevista coletiva após a reunião, o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), disse que o partido formará um bloco com PCdoB e PDT para tentar garantir um espaço para a minoria na Mesa Diretora.

"Infelizmente a Constituição brasileira permite a formação de blocos, o que desvirtua a proporcionalidade e a força do voto popular que nos deu a segunda maior bancada", disse a jornalistas.

"Mas nós vamos constituir um bloco com a minoria, com o PCdoB, com o PDT, e queremos estar na luta para que seja respeitada (a proporcionalidade). O Regimento Interno garante à minoria a participação na Mesa", acrescentou o líder que não descartou a hipótese de judicializar a questão.

A tese do apoio a Figueiredo também representou a vitória da ala do PT que defendia uma candidatura inclinada à esquerda e que rejeitava a possibilidade de os petistas votarem em um candidato que apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, casos dos demais candidatos que já se lançaram à disputa.

"É uma honra muito grande ter o apoio da bancada do PT", disse Figueiredo durante a reunião da bancada petista.

"Vivemos um momento extremamente crítico na conjuntura política do nosso país. Vivenciamos um momento que urge que as forças do nosso campo político se unifiquem", defendeu o pedetista.

Além de Figueiredo e Maia lançaram candidaturas à presidência da Câmara o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), e Júlio Delgado (PSB-MG).

Os adversários de Maia contestam no Supremo Tribunal Federal (STF) a candidatura do parlamentar do DEM por entenderem que a Constituição impede a reeleição dentro da mesma Legislatura. Maia, por sua vez, afirma que o texto constitucional não é explícito em proibir a reeleição em casos de mandatos-tampão, como é o caso dele, que assumiu para concluir o período do ex-presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no cargo.

Maia é o candidato preferido do Palácio do Planalto e já angariou o apoio oficial de vários partidos na disputa, entre eles o PSD, de Rosso, e o PSB, de Delgado.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos