Mercados acionários asiáticos têm pouca movimentação após declarações de Trump sobre câmbio

SYDNEY/TÓQUIO (Reuters) - O dólar teve dificuldades para se recuperar nesta quarta-feira depois que a administração Trump acusou a Alemanha, o Japão e a China de desvalorizar suas moedas para ganhar vantagem comercial, ampliando a aversão ao risco que deixou os mercados acionários da Ásia com pouca movimentação.

O dólar teve o mês de janeiro mais fraco em três décadas depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se queixou de que todos os "outros países vivem de desvalorização".

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, tinha leve alta de 0,55 por cento às 7:47 (horário de Brasília). Os mercados chineses não operaram pelo feriado do Ano Novo Lunar.

Já os investidores japoneses pareceram aliviados por o iene não subir ainda mais, o que levou o índice Nikkei a ter alta de 0,56 por cento. Mesmo assim, os ganhos foram limitados porque os investidores continuam preocupados com algumas políticas da administração de Trump.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,56 por cento, a 19.148 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,18 por cento, a 23.318 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC não abriu.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, permaneceu fechado.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,62 por cento, a 2.080 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX não operou.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,68 por cento, a 3.067 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,57 por cento, a 5.653 pontos.

(Por Wayne Cole e Ayai Tomisawa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos