Trabalhadores chilenos votam por greve na maior mina de cobre do mundo

SANTIAGO (Reuters) - Trabalhadores na mina Escondida, da BHP Billiton no Chile, a maior mina de cobre do mundo, decidiram em votação rejeitar uma proposta salarial da companhia e entrar em greve, disse o sindicato à Reuters nesta quarta-feira.

A greve deverá começar em 48 horas, mas o sindicato disse que a companhia irá provavelmente solicitar mediação do governo para tentar uma solução, o que poderia atrasar qualquer ação grevista por cerca de mais uma semana.

A decisão pela greve era esperada após líderes sindicais terem chamado a última oferta de salário da BHP de "absurda" na semana passada. Eles recomendaram que seus 2.500 funcionários rejeitassem a proposta e se preparassem para uma disputa prolongada com a companhia.

A BHP não respondeu imediatamente a pedidos de comentário, mas a companhia havia dito anteriormente que considerava a oferta justa. A oferta aos trabalhadores prevê um bônus de 12 mil dólares.

Na última negociação contratual, realizada há 4 anos, quando o valor do cobre estava mais alto, os trabalhadores receberam um bônus de 49 mil dólares após uma greve de duas semanas.

O fracasso das negociações já desencadeou uma alta no preço do cobre por expectativas de uma possível paralisação na mina.

A mina de Escondida produziu 1,15 milhão de toneladas de cobre em 2015, cerca de 6 por cento da oferta global. Além da BHP, controladora, a unidade tem como sócios ainda a Rio Tinto e a japonesa JECO.

(Por Fabian Cambero)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos