Ex-primeira-dama Marisa Letícia tem morte cerebral e família autoriza doação de órgãos

(Reuters) - A ex-primeira-dama Marisa Letícia teve a morte cerebral decretada nesta quinta-feira e a família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos.

Dona Marisa, de 66 anos, deu entrada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em 24 de janeiro com hemorragia cerebral por ruptura de um aneurisma e vinha recebendo tratamento intensivo desde então.

"A família Lula da Silva agradece todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas nesses últimos 10 dias pela recuperação da ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia Lula da Silva. A família autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos", informou o ex-presidente Lula em nota publicada em suas redes sociais.

Em boletim médico, o Hospital Sírio Libanês informou: "Na manhã de hoje foi realizado Doppler transcraniano, sendo identificada ausência de fluxo cerebral. Diante do resultado, com autorização da família, foram iniciados procedimentos para doação de órgãos".

Segunda mulher do ex-presidente Lula --a primeira faleceu, grávida de sete meses-- Marisa nasceu em São Bernardo do Campo. Neta de italianos, a “galega” também era viúva, quando conheceu Lula, em 1973. Seu marido havia sido assassinado com poucos meses de casamento.

Lula e Marisa casaram-se no civil em maio de 1974, seis meses após se conhecerem, e tiveram três filhos. O filho do primeiro casamento de Marisa foi oficialmente adotado por Lula aos 10 anos.

Desde então, Marisa, que tinha também cidadania italiana, acompanhou o marido em toda a sua trajetória política, desde as greves no final da década de 1970, passando pela prisão de Lula, em 1980, e pela fundação do PT, além das campanhas eleitorais.

Após a divulgação do boletim do hospital e das notas da família nas redes sociais, várias mensagens de pesar foram enviadas. A ex-presidente Dilma Rousseff definiu a ex-primeira dama como uma "mulher de fibra", que teve um importante papel político.

"Dona Marisa foi o esteio de sua família, a base para que Lula pudesse se dedicar de corpo e alma à luta pela construção de um outro Brasil, mais justo, mais solidário e menos desigual", disse Dilma em nota.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, que derrotou Lula em duas eleições presidenciais, visitou o petista acompanhado do ex-ministro José Gregori.

O presidente Michel Temer viaja ainda nesta quinta a São Paulo para se reunir com Lula e expressar suas condolências.

Na sessão de abertura do ano legislativo, no Congresso Nacional, houve um minuto de silêncio em memória da ex-primeira-dama.

LAVA JATO

Muitas vezes comparada à primeira-dama anterior, a acadêmica Ruth Cardoso, Marisa foi criticada por uma postura menos atuante, ao não se envolver com nenhuma ação ou programa do governo durante a gestão de Lula.

Marisa Letícia era ré na Justiça Federal no Paraná em ação penal ligada à operação Lava Jato, na qual o juiz Sérgio Moro aceitou, em setembro do ano passado, denúncia contra o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em dezembro, Moro aceitou mais uma denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra Lula e Marisa Letícia, em um caso que envolve um terreno que seria destinado ao Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo.

A morte de Marisa Letícia deve ter um impacto sobre o futuro político de Lula, cotado para presidir o PT a partir de junho, e potencial candidato à Presidência da República nas eleições do ano que vem.

(Reportagem de Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro, e Maria Carolina Marcello, em Brasília)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos