Visitantes do Louvre foram alertados de ataque e orientados a ficar no local

Por Michel Rose

PARIS (Reuters) - Os visitantes do Louvre ficaram sabendo da tentativa de ataque desta sexta-feira pelo sistema de alto-falantes e não houve pânico, disseram testemunhas, embora algumas crianças tenham chorado quando os seguranças instruíram as pessoas a se sentarem bem juntas e longe das janelas do museu de Paris.

Um soldado francês baleou e feriu nesta sexta-feira um homem armado com um facão que levava duas sacolas nas costas e que tentava entrar no renomado museu, o que a polícia disse ter parecido ser um ataque terrorista.

O homem, que a polícia disse ter gritado Allahu Akbar (Deus é grande) ao se lançar na direção do museu, está vivo, mas seriamente ferido. As sacolas que ele portava não continham explosivos.

"(O aviso) veio pelos alto-falantes espalhados no museu", disse Paul Lecher, parisiense aposentado de 68 anos e frequentador do Louvre.

"Tudo aconteceu calmamente", contou à Reuters. "Foi só uma questão de ouvir... as pessoas entenderam rapidamente, até aquelas que não entendiam uma palavra de francês, que algo incomum estava acontecendo."

O Louvre, que abriga a "Mona Lisa" de Leonardo da Vinci, artefatos egípcios antigos e incontáveis outros tesouros, é uma grande atração turística. Localizado em um antigo palácio real às margens do Sena, ele recebeu 7,3 milhões de visitantes no ano passado.

(Por Michel Rose)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos