Chefe regional de partido pede que Fillon deixe disputa presidencial na França

PARIS (Reuters) - O candidato presidencial francês Francois Fillon está enfrentando crescente pressão de seu próprio campo conservador para se retirar da disputa, e um senador do partido Os Republicanos alertou que a legenda pode se dividir se ele se recusar a deixar o pleito.

    O senador Bruno Gilles, chefe da influente região de Bocas do Ródano dentro do partido, afirmou em entrevista a uma rádio que a legenda “virou a página” e está apoiando de forma massiva uma mudança de candidato.

    Fillon, de 62 anos, está imerso em um escândalo depois de o jornal satírico Le Canard Enchaine ter informado que ele pagou centenas de milhares de euros de dinheiro público a sua mulher por trabalhos que ela supostamente não teria realizado.

    O candidato nega as acusações, mas elas já prejudicaram a sua campanha. Uma pesquisa de opinião mostrou que o ex-líder das pesquisas eleitoras agora está em terceiro lugar, atrás da líder da extrema-direita, Marine Le Pen, e do centrista independente Emanuel Macron, na disputa pelo primeiro turno das eleições de 23 de abril.

    “Esse escândalo está nos causando mais dano a cada dia, e não podemos esperar mais duas semanas”, disse Gilles à rádio France Bleu Provence. “Há eleições presidenciais e legislativas em jogo e, além disso, a sobrevivência do nosso partido político.”

    Ele acrescentou que “isso pode levar até a uma divisão do partido”.

    Fillon, ex-primeiro-ministro, prometeu na sexta-feira que resistirá aos pedidos cada vez mais intensos de legisladores republicanos e outras autoridades para que deixe a disputa.    (Reportagem de Jean-Francois Rosnoblet)

(Por Luciano Costa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos