Aneel dá até agosto para Bolognesi avançar com projetos de termelétricas de R$6 bi

(Reuters) - A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu em reunião nesta terça-feira dar um prazo até o final de agosto para que a Bolognesi Energia prove a viabilidade de duas termelétricas que o grupo se comprometeu a construir, que somariam 2,5 gigawatts em capacidade e cerca de 6 bilhões de reais em investimentos.

As usinas precisariam entrar em operação até 2019, mas a empresa conseguiu renegociar a entrega com os compradores da energia das unidades para o início em 2021, o que levou a um pedido de extensão do cronograma.

A Aneel aceitou o pleito, mas deu um ultimato para que a Bolognesi avance com o projeto. A empresa terá que provar ao regulador até 31 de agosto que fechou uma equação financeira que viabilize as usinas, bem como demonstrar a obtenção de licenças ambientais e contratos de fornecimento, incluindo de gás natural.

As usinas terão ainda um acompanhamento mensal pela agência, e qualquer descumprimento levará a um processo para a revogação da autorização para construção das térmicas.

Durante a análise do caso, o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, destacou que acredita que as termelétricas representarão "um grande desafio, principalmente (se elas continuarem com) o atual detentor da outorga".

Ele ressaltou, no entanto, que mesmo uma eventual venda dos ativos pela Bolognesi não mudará o cronograma agora imposto às duas usinas.

"Essa energia é fundamental para atender à demanda. Temos que ser capazes de retirar o agente desse processo se ele não demonstrar que será capaz de entregar", apontou Rufino.

(Por Luciano Costa, em São Paulo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos