Governo vai auditar estoques de café do ES antes de decisão sobre importação

BRASÍLIA (Reuters) - O governo brasileiro vai auditar os estoques de café do Espírito Santo, que somariam cerca de 4 milhões de sacas de 60 kg, segundo representantes do Estado, antes de tomar uma decisão sobre importação do produto.

A informação foi dada nesta terça-feira pelo secretário de Política Agrícola, Neri Geller, após a reunião do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, com integrantes do setor produtivo e parlamentares, que buscam evitar a liberação de importações.

Os resultados da auditoria vão orientar Blairo a encaminhar uma posição sobre as importações de café pelo maior produtor e exportador global da commodity.

Levantamento anterior do ministério apontou mais de 2 milhões de toneladas em estoques no país, o que levou o ministro a se posicionar favoravelmente a importações, diante de pedidos de torrefadoras que se queixam da baixa oferta do produto após secas seguidas que derrubaram a safra do Espírito Santo, maior Estado produtor da variedade robusta do Brasil.

Mas o deputado capixaba Evair de Melo (PV), integrante da Comissão de Agricultura da Câmara, um dos representantes dos produtores do seu Estado na reunião com Blairo, reafirmou nesta terça-feira que Espírito Santo tem estoques suficientes para evitar a importação.

E o governo concordou, por orientação do ministro, em "manter um diálogo" com o produtor enquanto realiza uma checagem dos números, afirmou o secretário de Política Agrícola após a reunião.

"Nosso levantamento indicou que estavam baixos (os estoques), mas hoje veio uma delegação. Eles nos colocaram com bastante força que existem parte dos estoques que não foi detectado. O que acertamos, o que o ministro acertou, é que o deputado vai dizer onde e nós vamos dar mais uma checada nesses números para depois o ministro tomar uma decisão", afirmou Geller.

Não há um prazo para a auditoria ser concluída.

O ministro recebeu os representante dos produtores após o presidente Michel Temer ter recomendado conversas com o setor.

Enquanto as importações ficam pendentes e a indústria reclama da baixa oferta, o que vem acontecendo desde o ano passado, o período de colheita de café robusta, em meados de abril, está se aproximando. A entrada da safra poderia aliviar a escassez.

Indústrias têm pressionado o governo a liberar a importação de café robusta após secas seguidas que atingiram a produção do Espírito Santo, fazendo os preços dispararem. O governo avalia liberar importação de 1 milhão de sacas, até maio.

(Por Stephen Eisenhammer)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos