Café robusta tem mínima de 2017 com menor chance de importações do Brasil

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros do café robusta na ICE caíram para o menor valor até o momento em 2017 nesta quarta-feira, à medida que diminuíram as esperanças de que os estoques apertados possam convencer o Brasil a importar café pela primeira vez em décadas, enquanto o café arábica se recuperou de uma mínima de um mês.

O café robusta para março encerrou em queda de 41 dólares, ou 1,9 por cento, a 2.106 dólares por tonelada, após cair para 2.103 dólares, o menor valor para o contrato desde 29 de dezembro.

A Cooxupé, maior cooperativa de café do mundo, projetou a safra de café 2017 do Brasil em entre 43 milhões e 47 milhões de sacas, abaixo do ano passado. A produção de arábica foi estimada em um intervalo de 35 milhões a 38 milhões de sacas, número inferior à expectativa do mercado.

O café arábica para maio fechou em alta de 0,25 centavo, ou 0,2 por cento, a 1,453 dólar por libra-peso, após tocar 1,442 dólar, o menor valor para o contrato desde 9 de janeiro.

O açúcar bruto para março fechou em alta de 0,04 centavo, ou 0,2 por cento, a 20,76 centavos por libra-peso.

O açúcar branco para maio avançou 2,60 dólares, ou 0,5 por cento, e encerrou a 550,90 dólares por tonelada.

O mercado focou no vencimento próximo dos contratos de março tanto para o açúcar bruto quanto para o açúcar branco, com expectativas de que o México pode entregar açúcar bruto que tipicamente seria destinado aos Estados Unidos.

(Por Marcy Nicholson e Mariana Ionova)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos