Estado Islâmico é suspeito de matar seis funcionários afegãos da Cruz Vermelha

Por Bashir Ansari

MAZAR-I-SHARIF, Afeganistão (Reuters) - Atiradores do Estado Islâmico são suspeitos de terem matado ao menos seis funcionários afegãos do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) nesta quarta-feira enquanto estes levavam suprimentos a áreas do norte do Afeganistão atingidas por tempestades de neve fatais, disseram autoridades do governo.

Não se tem notícia de outros dois funcionários desde o ataque na província afegã de Jowzjan, disse o CICV, mas a entidade assistencialista não sabe quem foi responsável ou por que o comboio foi alvejado.

"Este é um ato desprezível. Nada pode justificar o assassinato de nossos colegas e amigos queridos", disse a chefe da delegação do CICV no Afeganistão, Monica Zanarelli, em um comunicado.

Os agentes estavam em um comboio que levava suprimentos a áreas vitimadas por tempestades de neve quando foram atacados por supostos atiradores do Estado Islâmico, disse Lotfullah Azizi, o governador provincial de Jowzjan, à Reuters.

"O Daesh é muito ativo naquela área", afirmou, usando um nome alternativo para o Estado Islâmico, que fez avanços limitados no país, mas vem realizando ataques cada vez mais mortíferos.

Uma tempestade levou até dois metros de neve a muitas regiões afegãs no final de semana, de acordo com as autoridades, matando mais de 100 pessoas.

Três motoristas e cinco agentes de campo seguiam para entregar materiais para criação de animais aos afetados pelo fenômeno climático quando foram atacados, disse o comunicado do CICV.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos