Acordo entre União e RJ não tem "grandes alterações" após decisão de cassar governador, diz Meirelles

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quinta-feira que as negociações entre a União e o governo do Estado do Rio de Janeiro não terão "grandes alterações" no curto prazo após o Tribunal Regional Eleitoral fluminense cassar os mandatos do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e do vice-governador, Francisco Dornelles (PP).

Meirelles disse a jornalistas que Pezão está "no cargo e trabalhando "normalmente". A decisão do TRE só entra em vigor quando forem esgotadas todas as possibilidades de recursos.

Questionado sobre o pedido do Rio de Janeiro, que passa por sua pior crise fiscal, para antecipar os efeitos do acordo fechado com a União para ajuda financeira junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro disse que vai esperar a reunião com relator na Corte, ministro Luiz Fux, agendada para a próxima segunda-feira.

Meirelles disse ainda que o governo, neste momento, não vai alterar a previsão de crescimento de 1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano, diante de recentes dados positivos, como vendas de papelão ondulado.

Na semana passada, uma fonte do primeiro escalão da equipe econômica do governo disse à Reuters que o crescimento do Brasil surpreenderia em 2017 e superaria 1 por cento se, sobretudo, a reforma da Previdência sair do papel. Caso contrário, o país continuaria em recessão.

(Reportagem de Marcela Ayres)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos