Jungmann pede para familiares de PMs encerrarem protesto no ES

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, fez neste sábado um apelo às parentes dos policiais para que encerrem os bloqueios na frente dos batalhões da Polícia Militar no Espírito Santo e encerrem a paralisação que já dura uma semana.

Em visita ao Espírito Santo, Jungmann disse que as forças federais presentes no Estado permanecerão até que a normalidade na segurança seja totalmente recuperada.

"Aos familiares, esposas e mães: existem vidas em risco e a legitimidade de qualquer reivindicação tem como limite a garantia da vida", disse o ministro.

A greve levou o governo federal a enviar mais tropas na tentativa de encerrar uma semana de anarquia no Estado, onde mais de 137 pessoas foram mortas.

O Espírito Santo é um dos vários Estados que enfrentam uma crise orçamentária que está prejudicando serviços públicos essenciais para milhões de cidadãos.

A greve policial na última semana, por causa de salários, causou uma crise de segurança que levou a assaltos desenfreados, roubos e saques, muitas vezes em plena luz do dia.

A Procuradoria-Geral da República, afirmou, em nota, que "estuda a possibilidade de postular a federalização de crimes como o de motim".

"A reunião de hoje demonstra que as instituições estão trabalhando para garantir a ordem pública. O MPF, por meio da Procuradoria-Geral da República e da Procuradoria da República no Espírito Santo, está dando sua contribuição para resolver o problema de forma profissional, serena e equilibrada", disse, por meio da nota, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que também esteve no sábado em Vitória.

(Texto de Leonardo Goy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos