Jungmann diz que greve de policiais no ES mostra declínio e ordem está sendo restaurada

(Reuters) - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou neste domingo que a ordem e a segurança pública no Espírito Santo foram recuperadas e que, segundo informações do governo estadual, a paralisação dos policiais militares está "em declínio".

“A grande Vitória está levando uma vida bem mais tranquila. Amanhã as escolas estarão funcionando. O comércio abre, como já abriu no sábado, e o sistema de transporte coletivo deverá operar normalmente", disse Jungmann, após reunião com o presidente Michel Temer neste domingo, no Palácio do Jaburu.

"A determinação do presidente da República, de recuperar a ordem, está sendo atendida”, acrescentou. Ainda assim, o efetivo de 3,1 mil homens das Forças Armadas permanecerá no Espírito Santo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado, 1.236 policiais militares se apresentara para voltar ao trabalho.

A Polícia Militar, com o apoio do Exército, usou helicópteros para retirar homens do Batalhão de Missões Especiais e fazer o policiamento ostensivo nas ruas da região metropolitana da capital.

O movimento, que começou no dia 4 de fevereiro, visa o aumento de salários dos policiais militares. Mulheres de policiais seguiam bloqueando a entrada de batalhões.

O ministro afirmou que familiares de PMs ainda permanecem fazendo protesto nos quartéis por terem apoio dos grevistas remanescentes. “As mulheres dos PMs continuam lá porque contam em alguma medida, ou muita medida, com o apoio daqueles que se encontram aquartelados. No nosso modo de entender, isso não condiz com aqueles que usam fardas. Isso tem que parar”, disse o ministro a jornalistas em Brasília.

No Rio de Janeiro familiares de policiais militares também protestaram fora de batalhões, a maioria na região metropolitana da capital, mas as ações não tiveram impacto no policiamento. Segundo o ministro, a situação está sendo monitorada.

“Estamos, a pedido do presidente da República, acompanhando a situação no Rio de Janeiro, onde 97 por cento do policiamento encontra-se nas ruas. Há um protesto, mas que não tem afetado de forma alguma o funcionamento policial no Estado. Tudo segue normal nas outras unidades da federação”, disse.

Jungmann disse ainda que a atuação do governo federal no Espírito Santo será “a regra” para situações semelhantes que vierem a ocorrer em outras localidades. O ministro destacou, no entanto, que até agora não foi detectado um “efeito contágio” da situação em outros Estados.

Além de Jungmann participaram da reunião com Temer os ministros da secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, da secretaria-geral da Presidência, Moreira Franco, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Etchegoyen, e o ministro interino da Justiça, José Levi do Amaral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos