Coreia do Norte deve estar por trás da morte de meio-irmão de líder, diz fonte dos EUA

KUALA LUMPUR/SEUL (Reuters) - O governo dos Estados Unidos acredita firmemente que agentes da Coreia do Norte assassinaram na Malásia o meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong Un, disse uma fonte do governo norte-americano nesta terça-feira.

As autoridades norte-americanas ainda não determinaram exatamente como Kim Jong Nam foi morto, segundo a fonte, que não forneceu evidência específica para apoiar a opinião do governo dos EUA.

Uma fonte do governo sul-coreano também havia dito anteriormente que Kim Jong Nam foi assassinado na Malásia. A fonte não deu mais detalhes.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul disse que não poderia confirmar os relatos, e a agência de inteligência do país não pôde ser contatada imediatamente para comentar.

Nos Estados Unidos, não houve resposta imediata a um pedido de comentário do governo Trump, que enfrenta um duro desafio por parte da Coreia do Norte sobre seu programa de armas nucleares e o teste de um míssil balístico no último fim de semana.

Kim Jong Nam era conhecido por passar grande parte do tempo fora da Coreia do Norte e tinha falado publicamente contra o controle dinástico de sua família no Estado isolado.

Em um comunicado, a polícia malaia disse que o homem morto, com 46 anos, tinha um passaporte sob o nome de Kim Chol.

Kim Jong Nam foi capturado no passado usando documentos de viagem forjados.

O policial da Malásia Fadzil Ahmat disse que a causa da morte de Kim ainda não era conhecida e que uma autópsia seria realizada.

A fonte do governo dos EUA, falando sob condição de anonimato, disse que era possível que Kim Jong Nam tivesse sido envenenado. A fonte afirmou ainda que não se pode descartar que os assassinos usaram algum tipo de "caneta venenosa".

A TV Chosun, da Coreia do Sul, informou que Kim foi envenenado com uma agulha por duas mulheres que se acredita serem operárias norte-coreanas que fugiram em um táxi e estavam em liberdade, citando várias fontes do governo sul-coreano.

Kim Jong Nam e Kim Jong Un são ambos filhos do ex-líder norte-coreano Kim Jong II, que morreu no final de 2011, mas tinham mães diferentes.

Acredita-se que Kim Jong Nam era próximo de seu tio Jang Song Thaek, que era o segundo homem mais poderoso da Coreia do Norte antes de ser executado por ordem de Kim Jong Un em 2013.

(Por Emily Chow e Ju-min Park)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos