Kremlin nega campanha para prejudicar presidenciável francês Macron

MOSCOU (Reuters) - Acusações de que o Kremlin realizou ataques midiáticos e cibernéticos ao candidato à Presidência francesa Emmanuel Macron são absurdos, disse nesta terça-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Richard Ferrand, chefe do Partido de Macron, disse na segunda-feira que o político francês era alvo de "notícias falsas" da mídia russa e que sua campanha estava enfrentando milhares de ataques cibernéticos.

"Não tínhamos e não temos quaisquer intenções de interferir em assuntos internos de outros países, ou em seus processos eleitorais em particular", disse Peskov a repórteres em teleconferência diária.

"Que há uma campanha histérica anti-Putin em certos países é um fato óbvio".

A acusação de que a mídia apoiada pelo Kremlin buscava influenciar a opinião pública em países europeus é simplesmente absurda, acrescentou Peskov.

(Reportagem de Alessandra Prentice e Alexander Winning)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos