Militares ficarão no ES até situação se normalizar, diz Jungmann

Rodrigo Viga Gaier

No Rio

  • Wilton Junior/ Estadão Conteúdo

    11.fev.2017 -Tropas do exército e fuzileiros da Marinha trabalham para garantir a segurança em Vila Velha, região metropolitana de Vitória

    11.fev.2017 -Tropas do exército e fuzileiros da Marinha trabalham para garantir a segurança em Vila Velha, região metropolitana de Vitória

As Forças Armadas vão permanecer no Espírito Santo para auxiliar a segurança do Estado até que a situação se normalize definitivamente, disse nesta terça-feira (14) o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

"A presença das Forças Armadas vai ser prorrogada e requer a prorrogação. Vamos permanecer o tempo que for necessário até que a normalidade se instaure", disse Jungmann no Rio de Janeiro, Estado que também começou a contar com o apoio dos militares na segurança pública.

"Lá no Espírito Santo, demos inicialmente dez dias, mas a avaliação é que vamos estender a presença, não temos um prazo para ficar", acrescentou. "Se lá adiante a situação não for normalizada, nós estenderemos de novo."

Segundo ele, atualmente 3.000 militares estão no Estado, e a continuidade da operação ainda não foi formalizada.

Um movimento de protesto de familiares nas portas dos quartéis no Espírito Santo impedindo a saída dos policiais militares gerou uma onda de insegurança, com saques, atos de vandalismo e dezenas de assassinatos. O governo do Espírito Santo começou a investigar a ação dos policiais e iniciou um processo de demissão dos PMs.

Para Jungmann, o que houve no Espírito Santo foi um motim, e não apenas um ato liderado pelas mulheres dos policiais nas portas dos batalhões.

Governo inicia processo de demissão de 161 PMs

"No Espírito Santo tivemos um motim com tropas armadas e aquarteladas, e a hierarquia foi afetada tanto que o comandante da PM foi exonerado com 23 dias no cargo", disse o ministro.

"Se não as Forças Armadas não estivessem já na segunda-feira (da semana passada) e com isso derrubado saques, incêndios e arrastões, a população teria sua vida e propriedade em risco", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos