Produtores dos EUA se apressam para vender soja de 2017 de olho na América do Sul

CHICAGO (Reuters) - Os agricultores dos Estados Unidos estão aproveitando o aumento dos preços da soja e venderam a metade do que esperam colher neste ano, já que os enormes suprimentos globais e uma safra recorde na América do Sul, mais cedo do que de costume, não são bons para as vendas posteriores.

Os contratos futuros de Chicago de novembro, que refletem a safra de 2017, atingiram a máxima de dois meses na sexta-feira e avançaram cerca de 3 por cento neste mês. Isso elevou os preços no físico em algumas áreas para mais de 9,50 dólares o bushel, um nível que deve garantir lucro para os agricultores.

Os operadores da Citizens LLC no sul de Michigan têm contratos antecipados, em média, para cerca de 35 a 40 por cento da safra de soja esperada para 2017, o maior percentual para esta época do ano em pelo menos uma década, disse o vice-presidente de grãos da companhia, Angie Setzer.

Os agricultores do Brasil e da Argentina devem colher 159,5 milhões de toneladas de soja neste ano, 6 por cento a mais do que no ano anterior, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Em Iowa, um dos maiores produtores de soja do país, um comerciante de grãos de uma cooperativa estimou que seus clientes venderam de 10 a 15 por cento da safra de soja esperada antecipadamente, mas apenas 1 ou 2 por cento de seu milho.

(Por Karl Plume)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos