Soja cai em Chicago com pressão de colheita acelerada do Brasil

LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros de soja negociados em Chicago caíam nesta terça-feira pela segunda sessão consecutiva, pressionados pelo rápido avanço de uma safra recorde no Brasil e com chuvas muito necessárias na Argentina.

O contrato de soja mais ativo na bolsa de referência global caía 5,75 centavos, ou 0,55 por cento, 10,485 dólares por bushel, por volta das 11:48 (Brasília).

A associação brasileira da indústria de soja Abiove informou na véspera que espera que a produção de oleaginosa atinja um recorde de 104,6 milhões de toneladas em 2016/17, acima da previsão de dezembro de 101,7 milhões de toneladas.

A Abiove ainda estimou as exportações de soja do país em um recorde de 58,7 milhões de toneladas.

"A colheita de soja do Brasil aumentou o ritmo e agora está em cerca de 18 por cento, em comparação com uma média de cinco anos de 11 por cento", disse Tobin Gorey, diretor de estratégia agrícola no Commonwealth Bank of Australia.

    "A safra da Argentina recebeu chuvas benéficas no fim de semana, e precipitações adicionais são esperadas esta semana."

Enquanto isso, agricultores dos Estados Unidos estão aproveitando os preços da soja ainda bons, vendendo cerca de metade do que esperam colher neste ano, já que os enormes suprimentos globais e uma safra recorde na América do Sul, mais cedo do que de costume, não são bons para as vendas posteriores dos norte-americanos.

(Por Nigel Hunt)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos