Kremlin rejeita reportagem que diz que campanha de Trump teve contato com espiões russos

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin informou nesta quarta-feira que uma reportagem da mídia norte-americana, que dizia que membros da campanha presidencial de Donald Trump tiveram contatos com autoridades da inteligência da Rússia, não é baseada em quaisquer fatos.

O New York Times, citando quatro atuais e ex-autoridades norte-americanas, relatou na terça-feira que registros telefônicos e ligações interceptadas mostram que membros da campanha de Trump e outros associados do presidente tiveram contatos repetidos com autoridades de alto escalão da inteligência russa no ano anterior à eleição.

"Não acreditemos em informações anônimas", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante teleconferência com repórteres, destacando que as fontes do jornal não foram identificadas.

"É uma reportagem de jornal que não é baseada em quaisquer fatos", disse.

Peskov, respondendo a um comunicado da Casa Branca que dizia que Trump esperava que a Rússia devolva a Crimeia à Ucrânia, também disse que o Kremlin não tem intenção de discutir integridade territorial com parceiros estrangeiros.

(Reportagem de Maria Tsvetkova)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos