Empresas japonesas devem usar estoques de milho com atraso no fornecimento dos EUA

TÓQUIO (Reuters) - Produtores de ração do Japão poderão usar os estoques emergenciais de milho do país à medida que a oferta cai para níveis críticos devido a um atraso nos carregamentos dos Estados Unidos.

O Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão planeja aprovar a medida após fortes tempestades no noroeste dos Estados Unidos terem provocado grandes atrasos nos carregamentos de grãos do principal fornecedor de milho do Japão.

O Japão, maior importador de milho do mundo, deverá importar 15 milhões de toneladas na safra 2016/17, segundo projeção do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês).

"Recebemos a solicitação de um fabricante japonês de ração para usar algumas milhares de toneladas de milho de estoques emergenciais a partir do fim de fevereiro devido a atrasos nas importações dos EUA", disse Takanari Ishibashi, vice-diretor do departamento de ração do Ministério da Agricultura, à Reuters nesta quinta-feira.

"Planejamos aprovar o pedido", disse ele, acrescentando que outros fabricantes de ração também averiguaram recentemente sobre o possível uso dos estoques.

Fabricantes japonesas de ração precisam manter estoques de emergência de 850 mil toneladas de grãos, principalmente milho, o que equivale a cerca de um mês de demanda local. As companhias precisam buscar aprovação do governo para usá-los em caso de emergência.

(Por Yuka Obayashi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos